segunda-feira, 15 de junho de 2009

Porque defendo os esclarecimentos públicos

Este é um caso em que, à semelhança de outros (com projecção pública, mediáticos e que mexem com a sociedade), deveriam ser prestados esclarecimentos públicos (do magistrado titular do processo ou do CSM), já que duvido seriamente que a estória esteja toda contada. De certeza que a decisão foi tomada com base em elementos, desconhecidos da opinião pública. Convinha, assim, divulgar os elementos de facto que levaram a esta decisão, para percebermos os seus fundamentos.

2 comentários:

Anónimo disse...

Concordo.
Se normalmente os juizes e as comissões procuram que as crianças fiquem com as familias biologicas, se não os pais a familia alargada, onde é q andava essa familia para o tribunal se decidir pela adopção?
Há qualquer coisa que não se sabe. E, não querendo julgar ninguem mas correndo o risco de o fazer. Será que esta aparição publica agora não tem a ver com o caso da menina russa?
Cumprimentos
CP

Ricardo S disse...

Também tenho a sensação de que falta contar alguma coisa...
Cumprimentos.