segunda-feira, 21 de março de 2011

Venham eles

Estou farto de tanto teatro, tanta mentira e tanto engano. De início, estava esperançado que Passos Coelho trouxesse uma lufada de ar fresco à política nacional e uma equipe jovem e ambiciosa. Os primeiros meses de presidência no PSD começaram a levantar dúvidas e, com o passar do tempo, a esperança foi desaparecendo. Os constantes ziguezagues, as inúmeras contradições, a evidente falta de preparação e, acima de tudo, a falta de ideias claras e objectivas, levam-me a ter quase a certeza de que, com Passos Coelho no Governo, continuaríamos 'com as calças na mão'. Mas entre o apoio claramente maioritário da opinião publicada (comentadores, colunistas, bloggers) e dos media, que influencia a opinião pública, fica a certeza de que, mais cedo ou mais tarde, irá para o Governo. E, por mim, pode ir já. Como começei por escrever, estou farto da mentira e do engano. Já basta! Com tanta manipulação, que tem prejudicado a imagem do País nos mercados financeiros e que acabará, provavelmente, por trazer o FMI a paragens lusas, quero que Passos Coelho assuma, de uma vez por todas, a chefia do Executivo, para rapidamente percebermos o que (não) vale. E para aqueles que, odiando Sócrates (e com razão), estão cegos de amor por Passos Coelho, pensam que isto irá melhorar. Espero que assuma o Governo rapidamente, para rapidamente vermos que será pior (nunca pensei que podíamos ficar pior do que estamos neste momento com Sócrates, mas Passos Coelho parece querer lutar contra essa certeza) e para aqueles que o querem à força percebam que não será melhor. Estou convicto que, à boleia do FMI, Passos Coelho aplique uma política ultra liberal. Facilidade de despedimentos (já propôs a alteração do conceito de 'justa causa' para 'motivo atendível'), contratos a termo verbais (alguém falou em precariedade?), redução dos salários no privado (como alguns empresários 'amigos' defendem publicamente), redução do ensino e da saúde pública. Muitos defendem estas medidas - poucos o assumem - mas eu considero-as injustas e erradas. E é com as suas atitudes 'provocatórias' (por exemplo, votar contra o PEC IV) que esperam piorar a situação do país para que venha o FMI. Para poderem acusar o governo de falhar (há muito que este falha, mas com a preciosa ajuda do PSD e dos restantes partidos que nunca estão de acordo com nada) e, finalmente, colocarem os amigos nos cargos, cumprindo as promessas e os acordos já celebrados.
Por tudo isto, venham eles. Assumem já, para percebermos, de uma vez por todas, o que eles pretendem e o que valem como governantes. Para rapidamente concluirmos pela sua incapacidade e rapidamente partirmos para outro.


(foto retirada, com a devida vénia, a alguém que está desesperado pela vitória de Passos Coelho)