quinta-feira, 14 de maio de 2009

Concordo em absoluto

"O procurador-geral da República defendeu que os magistrados do Ministério Público têm de sair dos gabinetes e ir para o terreno, em vez de se limitarem a fazer investigações "por telefone". (...)"

(Jornal de Notícias de ontem)

4 comentários:

Anónimo disse...

Este PGR é um "lírico". Se os magistrados do Ministério Público sairem dos gabinetes e forem para o terreno, QUEM É QUE DESPACHA AS MONTANHAS DE PROCESSOS QUE HÁ EM CADA GABINETE?

É por estas e por outras que se vê que este PGR é um provinciano de diz "coisas" que caiem bem no goto do POVÃO, mas que NADA têm que ver com a REALIDADE.

Ricardo S disse...

Caro anónimo, tem razão: existem muitos processos para despachar. Mas a verdade é que estou convencido que seria bastante útil os procuradores, em certos processos, realizarem uma ou outra diligencia fora do gabinete (deslocaçao ao local do crime, por exemplo), em vez de delegar por inteiro nas OPC's, como penso que fazem. Terá sido, creio, esta a ideia do PGR...
Cumprimentos.

Anónimo disse...

Caro Ricardo S:

"Isso" que o meu amigo diz, já é feito todos os dias por muitos magistrados do MP, como, aliás, até os OCS têm noticiado.

Salvo o devido respeito, não é "essa" a posição do actual PGR. O que este quer é que o "POVÃO" esteja do seu lado, mandando "bocas" que lhe agradem. Nada mais.

Este homem veio da magistratura judicial (onde os processos lhe caíam apenas em cima da secretária do seu gabinete para "despacho") e "imagina" que o MP é "diferente" e que tem que ir para o "terreno". Quer que o MP (ele próprio,PGR, a final) controle tudo e esquece o papel específico das polícias. Em vez de ver o MP como magistratura de controle das polícias, "vê" o MP como "polícia".

Desculpe o meu amigo, mas este PGR é INCOMPETENTE para dirigir o MP.

Ricardo S disse...

Caro anónimo, sobre o actual PGR já aqui deixei, por diversas vezes, a minha opiniao, por isso não a irei repetir.
Como certamente compreenderá, sendo advogado desconheço muito do que se passa no MP. Se a regra já é os magistrados sairem do gabinete para realizarem certas diligencias, entao optimo. Peço desculpa por estar enganado a esse respeito. Poderemos, então, discutir se saiem o suficiente ou não. Mas esse debate terá que partir, creio eu, do próprio MP.
Uma última nota em relação ao PGR: efectivamente, cada vez que se panha com um micro à frente, o Dr Pinto Monteiro deixa sempre sair um soundbite, uma frase ou comentário polémico ou que leva a debates e comentários. Deveria, salvo melhor opinião, ser mais discreto e comedido. Por muita razão que eventualmente possa ter no que diz, há coisas que não se dizem. Tal como o seu homólogo dos advogados, o Bastonário Marinho Pinto, exagera na forma, mesmo que tenha razão na matéria. Deve ser mania dos Pinto's...