terça-feira, 9 de junho de 2009

A guerra continua

Lamento que se continue a insistir em discutir estas questões na praça pública e nos jornais. E, ainda por cima, em continuar a atirar lenha para a fogueira.

3 comentários:

Nicolina Cabrita disse...

Caro Colega,
Não há qualquer guerra. Se atentar no teor das comunicações julgo que vai concluir precisamente isto.
Melhores cumprimentos

Ricardo S disse...

Boa noite cara Colega.
No caso concreto, do Presidente do Conselho Superior, considero que até é quem menos tem contribuído para o actual estado da Ordem. Porém, era escusado escrever o que escreveu em forma de carta aberta, que pode ser consultada no site da Ordem, apesar de ser preciso ginástica para lá chegar e saber ao que vamos. Como já aqui várias vezes defendi, penso que esta matéria deveria ser discutida entre portas. E foi neste sentido que escrevi que esta carta aberta constitui mais uma acha para a fogueira, pois veio divulgada nos media, que passaram, com o actual Bastonário (e as suas "bastonadas") a estar mais atentos ao que se passa na OA.
É verdade que o teor desta mensagem dá a entender que a paz pode partir do Conselho Superior e, pessoalmente, espero que sim, pois não vislumbro como é que os conselhos distritais (sobretudo o de Lisboa) e o actual Bastonário poderão estabelecer tréguas até ao final do mandato.
Agradecendo o comentário, apresento os meus melhores cumprimentos.

Nicolina Cabrita disse...

Não querendo polemizar, desde logo porque não devo/posso, permita-me que lhe peça, apenas e tão somente, que na sua análise tenha em consideração o seguinte:
1.º As afirmações do Senhor Bastonário, às quais o Presidente do Conselho Superior respondeu, foram feitas perante órgãos de comunicação social, em programas de larga audiência, vistos pelo público em geral e não apenas advogados, sendo que, tal como o PCS refere no seu comunicado, a serem verdadeiras [e foram veiculadas como tal] apresentá-lo-iam como alguém indigno não só perante advogados, mas perante toda a gente.
2. Desde o início que o Conselho Superior tem experimentado dificuldades inusitadas para veicular informação aos Colegas, pelas formas habituais, e a responsabilidade por isto acontecer foi assumida pelo Senhor Bastonário na última AG, em termos que o convido a conhecer aqui:
http://www.oa.pt/Conteudos/Artigos/detalhe_artigo.aspx?idc=31623&idsc=31627&ida=77538
Bastará, para tanto, que tenha a paciência de ouvir a minha intervenção e a resposta, que, tanto quanto recordo, constará sob a designação «algumas questões».
Resumindo: em circunstâncias normais, perfilharia as suas objecções, mas, infelizmente, nada do que actualmente se passa na Ordem é enquadrável nesses cânones...
Melhores cumprimentos